NO PARÁ, CRIANÇAS TROCAM SEUS CORPOS POR R$ 3 OU COMIDA ESTRAGADA

publicado em: 19/05/2017

Em 1.969 pontos espalhados nas rodovias brasileiras, roupas curtas e batons de cores fortes escondem a inocência de crianças e adolescentes que tão cedo tiveram a inocência trocada pelo comércio da exploração sexual.No Pará, nas vias fluviais, meninos e meninas nem precisam se disfarçar de adultos. No Marajó, por exemplo, basta ter a quantia de R$ 3,00, ou algum resto de alimento, para ter relações com uma criança, afirma a coordenadora de Justiça e Paz, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Agencia Brasil