UFPA REPUDIA INVASÃO DE PREFEITO EM EVENTO ACADÊMICO

publicado em: 01/12/2017

Foto: Adriano Nascimento/Especial
Após tumulto em um evento acadêmico na Universidade Federal do Pará (UFPA), na tarde de ontem (29), a instituição lançou nota repudiando a ação do invasor que causou a confusão na programação. A iniciativa foi realizada para graduandos da área de pesquisa em mineração, em uma promoção da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e UFPA.
A programação seguia normalmente no Instituto de Ciências Sociais Aplicadas, no campus do Guamá. Segundo os organizadores, o evento foi invadido por um grupo liderado pelo prefeito Dirceu Biancardi, de Senador José Porfírio, município do oeste do Pará, localizado na região do rio Xingu, que defendem o licenciamento ambiental das atividades minerárias da empresa Belo Sun.
Segundo o aluno de Pesquisa de Comunicação Científica na Amazônia, Fernando Augusto Costa, a professora Rosa Acevedo Marinho, que chegou para abrir o auditório e iniciar os trabalhos da tarde de ontem, registrou boletim de ocorrência contra o prefeito por conta de agressões físicas e verbais. 
Ainda de acordo com o estudante, o seminário começou a se desenvolver anteontem, na Uepa, com a presença de pesquisadores da área de mineração, que também debateram quanto aos impactos ambientais causados pelos megaprojetos instalados na Volta do Rio Xingu, como o da Belo Sun, que está com processo de licenciamento suspenso junto à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).
No local, o prefeito de Senador José Porfírio teria invadido o auditório, tomado o acento à mesa e a fala do evento. Vereadores e um deputado também deram suporte à ação.
CONFIRA O POSICIONAMENTO DA INSTITUIÇÃO:
"A Reitoria da Universidade Federal do Pará vem a público repudiar veementemente a agressão à autonomia universitária de que a instituição foi alvo nesta quarta-feira, 29/11, por ocasião de um debate sobre projetos de mineração no estado do Pará. Na ocasião, o Prefeito do município de Senador José Porfírio, Sr. Dirceu Biancardi, acompanhado do Vice-Prefeito e de três vereadores daquele município, impediu a realização da atividade acadêmica programada e impossibilitou que os responsáveis pelo debate ou quaisquer pessoas afetas à UFPA saíssem do auditório para entrar em contato com o serviço de segurança institucional ou com a Administração Superior da UFPA. Os apoiadores do prefeito também agrediram verbalmente os presentes à atividade, coordenada pela Profa. Dra. Rosa Acevedo Marin. Exercer a liberdade de expressão e enfrentar os grandes debates nacionais com os instrumentos da ciência e do pensamento crítico são aspectos essenciais do trabalho das Universidades, no ensino, na pesquisa e na extensão, daí o princípio constitucional que estabelece a sua autonomia. Obstar, nesse ambiente, a manifestação de ideias e posições sobre fatos de qualquer natureza é impeditivo da própria existência da instituição universitária e merece ser intensamente repelido por toda a sociedade. A agressão à UFPA foi também uma agressão ao Estado Democrático de Direito e mais uma expressão do obscurantismo que anda a ameaçar as mais importantes instituições do país. A UFPA ressalta que está solicitando a apuração detalhada dos fatos citados, assim como a devida responsabilização dos autores da agressão. Por fim, reitera que não será tolerante com qualquer tentativa de intimidação de membros da comunidade universitária e tomará as providências necessárias para resguardar o seu direito à livre manifestação e à difusão do conhecimento aqui produzido.
Belém, 30 de novembro de 2017.
Emmanuel Zagury Tourinho
Reitor da UFPA"
Orm