VIGILÂNCIA SANITÁRIA APREENDE MEIA TONELADA DE MEDICAMENTOS EM BELÉM

publicado em: 10/08/2017

Cerca de meia tonelada de produtos e medicamentos foi apreendida pela Delegacia de Vigilância Sanitária (Devisa), nesta quarta-feira (9), em Belém. A operação "Efeito Colateral" flagrou a venda irregular de medicamentos, farmácias sem farmacêutico, condições precárias de higiene e falta de licença de funcionamento. Quatro estabelecimentos foram interditados.
O chefe da Divisão de Drogas e Medicamentos do Devisa, Randolfo Coelho, informou que um processo administrativo deve ser aberto para que os proprietários tomem medidas necessárias para regularizar os estabelecimentos, além de serem aplicadas advertências e multas.
Coelho disse ainda que um dos locais interditados foi uma perfumaria no centro comercial de Belém, que funcionava com ponto de venda e laboratório de produção sem licença de funcionamento. Ele informou que agentes municipais encontraram mercadorias irregulares e produtos sem registro da Agência Nacional da Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Saúde.
O gerente da perfumaria, de acordo com a Devisa, disse que vai providenciar as medidas para regularizar o negócio.
Segundo a Devisa, duas farmácias foram interditadas, no bairro da Sacramenta, por não possuir licença, informações sobre os medicamentos e presença de farmacêutico. Agentes encontraram medicamentos vencidos e venda de antibióticos sem retenção de receitas.
"Em uma das farmácias havia condições sanitárias para apenas bloquearmos os produtos. Já a segunda não apresenta nenhuma condição de preservação dos produtos, oferecendo bem mais risco para a população", disse o farmacêutico e técnico do Devisa, Rui Moraes.
A operação também apreendeu medicamentos em feira livre e fechou estabelecimento de cosméticos no bairro da Terra Firme.
A ação teve início em 2013, em Belém, e já apreendeu cerca de três toneladas de medicamentos. Denúncias de irregularidades podem ser feitas na sede do Devisa, na travessa Feb, em São Brás.
G1/PA