VEREADORES VOTAM POR AFASTAMENTO DO PREFEITO DE MUANÁ

publicado em: 10/08/2017

Os moradores de Muaná, na Ilha do Marajó, ocuparam desde quarta-feira (09), o prédio da Câmara de Vereadores no município. Eles protestam contra a realização da sessão que poderia afastar o Prefeito do Município, Murilo Guimarães. O Prefeito está sendo acusado do desvio de recursos da saúde, em valores superiores a 800 mil reais, que deveriam ter sido usados para cirurgias eletivas.
Na manhã desta quinta-feira (10), mesmo com a ocupação, os vereadores iniciaram a sessão, porém, devido ao tumulto, foi suspensa. Durante a segunda tentativa de fazer a votação, os vereadores receberam um liminar do Juiz de Direito da Comarca de Muaná, Luiz Trindade Júnior, que deferiu mandado de segurança preventivo, determinando que a Câmara de Vereadores passe a obedecer os principais da ampla defesa e obedeça os prazos legais dentro de processo administrativo investigativo. O Prefeito Murilo Guimarães deverá ser mantido no cargo, mesmo com a instalação da Comissão Processante. Os vereadores seguem a sessão para instalar a comissão processante.
Vale lembrar que em outubro do ano passado, o prefeito Murilo Guimarães sofreu uma tentativa de atentado
Segundo o prefeito de Muaná, este recurso não foi aplicado, de fato, e foi comunicado a Sespa, que tomou as providências cabíveis, efetuando o remanejamento do recurso para Castanhal. 
O Prefeito denuncia que está recebendo ameaças de morte pelas redes sociais e por telefone, e que já deu conhecimento às autoridades da segurança pública, de tudo o que está sendo feito, junto com o pedido de um Mandado de Segurança Preventivo, protocolado no Fórum de Muaná na tarde de quarta-feira (9).
O Vice Prefeito, Birí Magalhães se defende das acusações, afirmando que o Prefeito não tem como provar o trâmite que foi dado para este recurso da saúde
Dos nove vereadores da Câmara, somente três estariam mantidos no grupo de apoio do Governo Municipal. Os demais já eram da oposição e outros migraram nos últimos meses, o que proporciona a possibilidade de aprovação da instalação de uma Comissão Processual que terá a responsabilidade de investigar os fatos, mas que também propunha o afastamento imediato do Prefeito, para não atrapalhe as investigações dos vereadores, segundo o vice-prefeito. 
Um forte aparato policial foi encaminhado para a cidade, incluindo homens do grupamento tático, que possuem preparação para conter este tipo de manifestação, para garantir a segurança. 
(DOL com informações de Dário Pedrosa)