SERRA PELADA SEM OURO E SEM ÁGUA

publicado em: 10/08/2017

Foto: Publica
O sonho de voltar a retirar ouro de Serra Pelada está longe de acontecer para os moradores da vila rural mais rica do Pará. E o de ter água tratada também. É que a empresa que vai fornecer o líquido para a aquela comunidade, localizada em Curionópolis, é a BRK Ambiental, responsável pelo abastecimento da cidade de Curionópolis, onde é grande a reclamação da população pelo serviço que ela presta, considerado caro e de má qualidade.
A BRK Ambiental é uma empresa do grupo Odebrecht que mudou de nome, assim como outras empresas da holding, por conta dos escândalos de corrupção investigados na Operação Lava Jato. A empresa se chamava Odebrecht Ambiental, que adquiriu a Saneatins, para quem o serviço de água de Curionópolis foi terceirizado há mais de 10 anos.
No final da semana passada, houve uma audiência pública em Curionópolis, ocasião em que o prefeito Adonei Aguiar anunciou o serviço como se fosse um grande feito do governo dele. No entanto, agora os moradores descobriram que o recurso que será investido no sistema de abastecimentos, no valor de R$ 1 milhão, não é do município. E pior, que eles terão que pagar pelo serviço.
De acordo com o anunciado durante a audiência pública realizada pela prefeitura em Serra Pelada, a primeira fase do processo de implantação do abastecimento de água na vila será o cadastramento dos usuários. As obras iniciarão em setembro e devem ser concluída em 90 dias.
Segundo a empresa contratada, serão implantados 27.500 metros de rede de distribuição de água, o que deve extinguir a antiga rede. De acordo moradores, foi informado que os poços existentes devem ser desativados, o que os obrigará a consumir só a água fornecida pela BRK Ambiental.
(Tina Santos)